Resenha: “Seda”, Alessandro Baricco

Era 1861. Flaubert estava acabando Salammbô, a luz elétrica ainda era uma hipótese e Abraham Lincoln, do outro lado do oceano, estava combatendo em uma guerra que o final não veria. (p.25) Conhecendo um pouco da literatura italiana contemporânea. O italiano Alessandro Baricco (Turim, 25 de janeiro de 1958) é jornalista, crítico de música, dramaturgo e prosista. Baricco é…

About these ads

Resenha: “A hora do diabo”, de Fernando Pessoa

A música, o luar e os sonhos são as minhas armas mágicas. (Fernando Pessoa, p.44) Este livro, “A hora do diabo”, são folhas soltas escritas por Fernando Pessoa, fazem parte do espólio do autor depositado na Biblioteca de Lisboa. Foram organizadas pela professora portuguesa e especialista no autor,Teresa Rita Lopes, também é escritora. Teresa Rita Lopes, estudiosa…

Resenha: “A maçã no escuro”, Clarice Lispector

(…) A amizade é muito bonita mesmo. Mas o amor é mais. Eu não podia ter amizade por um homem que eu tinha amado. (p. 206) Em “A maçã no escuro”, Clarice Lispector (Chechelnyk- Ucrânia, 10 de dezembro de 1920 - Rio de Janeiro, 9 de dezembro de 1977)  conta a história de Martim, um homem que foge na noite, se refugia num hotel…

Resenha: “Uma criatura dócil”, Fiódor Dostoiévski

…Enquanto ela estiver aqui, tudo vai bem: a cada instante chego perto para vê- la, mas que será de mim quando a levem amanhã e eu fique sozinho? (p. 15) Esse livro começa com uma nota do próprio Dostoievski explicando um pouco sobre o gênero do relato, que ele classifica de “fantástico”, mas com um…

Resenha: “Menelau e os homens”, de Dênisson P. Filho

Esse livro começa bem misterioso, enigmático a partir do título: Menelau? Quem é Menelau? E os homens, quem são? A capa dá uma pista de que não é um “romance” urbano (a princípio achava que era um romance), os cavalinhos pastando. Dois homens em fuga. Eles fogem debaixo de um sol de rachar e têm…

Resenha: “Brooklyn Follies”, Paul Auster

Esse foi o primeiro livro que li de Paul Auster (Nova Jersey, Estados Unidos, 1947), ele é romancista, poeta, roteirista e diretor de cinema. Foi marinheiro, viveu três anos na França, onde trabalhou como tradutor, ghost writer e caseiro numa fazenda. Desde 1974 mora em Nova York e dedica- se exclusivamente à literatura. Brooklyn follies, 2006 (Loucuras…

Último post do ano: “Dom Casmurro”, de Machado de Assis

(…) Talvez abuso um pouco das reminiscências osculares; mas a saudade é isto mesmo; é o passar e repassar das memórias antigas. Ora, de todas as daquele tempo creio que a mais doce é esta, a mais nova, a mais compreensiva, a que inteiramente me revelou a mim mesmo. (Dom Casmurro lembrando do seu primeiro…

Resenha: “O original de Laura”, de Vladimir Nabokov

“O original de Laura” é um rascunho de Vladimir Nabokov (São Petersburgo, 22 de abril de 1899 - Montreux, Suíça, 2 de julho de 1977), considerado um dos maiores escritores da literatura universal. Ele escreveu essas fichas quando estava doente, faleceu seis meses depois por causa de uma bronquite. Bronquite adquirida por negligência médica, segundo o filho do escritor. Nabokov estava internado para fazer uma…

Resenha: “Grande Sertão: veredas”, João Guimarães Rosa, no dia da morte do escritor

Eu quase que nada não sei. Mas desconfio de muita coisa.( p. 30) Eu também desconfio de muita coisa, até dessa incrível “coincidência”, postar ao acaso essa resenha (cheia de “anotamentos”) justo hoje: data do falecimento de Guimarães Rosa. A vida é mesmo mística. O escritor, ministro, diplomata e médico João Guimarães Rosa (Cordisburgo, Minas Gerais, 27 de…

Resenha: “O tempo entre costuras”, de María Dueñas

Como podíamos ser conscientes de que com aquele ato tão simples, com o mero feito de avançar dois ou três passos e transpassar um umbral, estávamos assinando a sentença de morte do nosso futuro em comum e torcendo as linhas do futuro de forma irremediável. (p. 22) Maria Dueñas  (Puertollano, Ciudad Real, 1964) é doutora…

Resenha: “O calor das coisas”, contos de Nélida Piñon

Falar em Nélida Piñón (Rio de Janeiro, 3 de maio de 1937) é falar em literatura de primeiro nível, ela escreve muito! O amor em todas as suas formas é o centro dessa obra. A escritora é filha de espanhóis da Galiza (Espanha), o seu nome é um anagrama do seu avô Daniel. É jornalista e professora, imortal da…

A história do amor de Fernando e Isaura, Ariano Suassuna

Sou um escritor de poucos livros e poucos leitores. Vivo extraviado em meu tempo por acreditar em valores que a maioria julga ultrapassados. Entre esses, o amor, a honra e a beleza que ilumina caminhos da retidão,da superioridade moral, da elevação, da delicadeza, e não da vulgaridade dos sentimentos. (Recife, 7 de outubro de 1994,…

“Pobre gente”, Fiódor M. Dostoievski

Dostoievski (Moscou,11-11-1821/São Petesburgo, 09-02-1881) era engenheiro e militar, mas foi a literatura que o fez conhecido e o transformou em um dos maiores escritores mundiais. Foi preso, acusado por conspirar contra o governo russo, e na prisão, começou a desenvolver uma doença no cérebro, até hoje não confirmada, epilepsia ou uma doença histérica como afirmou…

“O tempo envelhece depressa”, Antonio Tabucchi

Perguntei- lhe por aquele tempo, de quando éramos ainda realmente jovens, ingénuos*, arrebatados, patetas, incautos. Alguma coisa ficou, a juventude não- respondeu. (p. 11) O escritor italiano morava em Lisboa e era apaixonado pela língua portuguesa. Tabucchi morreu no ano passado de câncer. Conheci a obra de Tabucchi depois de sua partida no ano passado (Vecchiano, Pisa,…