Resenha: “Vidas provisórias”, Edney Silvestre

Sabe aquele cara competente e bonitão da Globo, voz linda, jornalista consagrado e conhecido por todos? Sim, esse mesmo, Edney Silvestre ou Edney Célio Oliveira Silvestre (Valença, Rio de Janeiro, 27 de abril de 1950). Edney também é um baita escritor de ficção, talvez a melhor faceta de Edney entre tantas geniais! O talento para a escritura começou quando…

About these ads

Resenha: “Um cão uivando para a lua”, de Antônio Torres

Até antes de ler “Um cão uivando para a lua”, o livro “Essa terra” era o meu preferido. Agora estão empatados, outro “livraço”* de Antônio Torres! O autor escolheu para a epígrafe do livro uma frase genial de William Faulkner: Entre a dor e o nada eu escolho a dor. E você? Antônio Torres e seu…

1º Dia da Feira do Livro de Madri: Luis Goytisolo e Antonio Colinas

As feiras de livros são oportunidades valiosas para conhecer nossos ídolos literários, trocar algumas palavras e “sentir” como é o autor. E dependendo do escritor, esse contato direto com o leitor não lhe beneficia em nada. Foi o caso de Lucía Extebarría em 2010. Depois de conhecê- la em pessoa, me desfiz de todos os seus livros e…

Resenha: “Meninos, eu conto”, de Antônio Torres

“Meninos, eu conto” está “classificado” como literatura infanto- juvenil, mas é adequado para todas as idades. E atenção, professores: altamente recomendado para ler na escola! Antônio Torres (Sátiro Dias, antigo Junco, Bahia, 13-09-1940)  é um mestre do romance, mas aventurou- se também pelo conto e saiu com essas três histórias: Segundo Nego de Roseno, Por um…

Resenha: “Em busca do tempo perdido- No caminho de Swann”, Marcel Proust

(…) Mas, quando nada subsiste de um passado antigo, após a morte dos seres, após a destruição das coisas, apenas o cheiro e o sabor, mais frágeis mas vivazes, mais imateriais, mais persistentes, mais fiéis, permanecem ainda por muito tempo, como almas, a fazer- se lembrados, à espera sobre a ruína de tudo o resto*,…

Resenha: “Seda”, Alessandro Baricco

Era 1861. Flaubert estava acabando Salammbô, a luz elétrica ainda era uma hipótese e Abraham Lincoln, do outro lado do oceano, estava combatendo em uma guerra que o final não veria. (p.25) Conhecendo um pouco da literatura italiana contemporânea. O italiano Alessandro Baricco (Turim, 25 de janeiro de 1958) é jornalista, crítico de música, dramaturgo e prosista. Baricco é…

Resenha: “A hora do diabo”, de Fernando Pessoa

A música, o luar e os sonhos são as minhas armas mágicas. (Fernando Pessoa, p.44) Este livro, “A hora do diabo”, são folhas soltas escritas por Fernando Pessoa, fazem parte do espólio do autor depositado na Biblioteca de Lisboa. Foram organizadas pela professora portuguesa e especialista no autor,Teresa Rita Lopes, também é escritora. Teresa Rita Lopes, estudiosa…

Resenha: “A maçã no escuro”, Clarice Lispector

(…) A amizade é muito bonita mesmo. Mas o amor é mais. Eu não podia ter amizade por um homem que eu tinha amado. (p. 206) Em “A maçã no escuro”, Clarice Lispector (Chechelnyk- Ucrânia, 10 de dezembro de 1920 – Rio de Janeiro, 9 de dezembro de 1977)  conta a história de Martim, um homem que foge na noite, se refugia num hotel…

Resenha: “Uma criatura dócil”, Fiódor Dostoiévski

…Enquanto ela estiver aqui, tudo vai bem: a cada instante chego perto para vê- la, mas que será de mim quando a levem amanhã e eu fique sozinho? (p. 15) Esse livro começa com uma nota do próprio Dostoievski explicando um pouco sobre o gênero do relato, que ele classifica de “fantástico”, mas com um…

Resenha: “Menelau e os homens”, de Dênisson P. Filho

Esse livro começa bem misterioso, enigmático a partir do título: Menelau? Quem é Menelau? E os homens, quem são? A capa dá uma pista de que não é um “romance” urbano (a princípio achava que era um romance), os cavalinhos pastando. Dois homens em fuga. Eles fogem debaixo de um sol de rachar e têm…

Resenha: “Brooklyn Follies”, Paul Auster

Esse foi o primeiro livro que li de Paul Auster (Nova Jersey, Estados Unidos, 1947), ele é romancista, poeta, roteirista e diretor de cinema. Foi marinheiro, viveu três anos na França, onde trabalhou como tradutor, ghost writer e caseiro numa fazenda. Desde 1974 mora em Nova York e dedica- se exclusivamente à literatura. Brooklyn follies, 2006 (Loucuras…

Resenha: “O original de Laura”, de Vladimir Nabokov

“O original de Laura” é um rascunho de Vladimir Nabokov (São Petersburgo, 22 de abril de 1899 – Montreux, Suíça, 2 de julho de 1977), considerado um dos maiores escritores da literatura universal. Ele escreveu essas fichas quando estava doente, faleceu seis meses depois por causa de uma bronquite. Bronquite adquirida por negligência médica, segundo o filho do escritor. Nabokov estava internado para fazer uma…

Resenha: “Grande Sertão: veredas”, João Guimarães Rosa, no dia da morte do escritor

Eu quase que nada não sei. Mas desconfio de muita coisa.( p. 30) Eu também desconfio de muita coisa, até dessa incrível “coincidência”, postar ao acaso essa resenha (cheia de “anotamentos”) justo hoje: data do falecimento de Guimarães Rosa. A vida é mesmo mística. O escritor, ministro, diplomata e médico João Guimarães Rosa (Cordisburgo, Minas Gerais, 27 de…