Arquivo da Categoria: Resenhas

Resenha: Marlon Brando – A face sombria da beleza

por

François Forestier escreveu, ao meu parco ver, um dos livros mais sensacionalistas dos últimos tempos: Marlon Brando – A Face Sombria da Beleza. Cadê a bibliografia? Há vasta bibliografia no final do livro.… Continuar lendo

“Fim”, Fernanda Torres e o desvario de seus “leitorres”, por Gerson de Almeida.

por

Preparados? Lá vem BOMBA! Nosso colaborador Gerson de Almeida e sua língua afiada mandou bala na obra de Fernanda Torres. O livro da Fernanda parece que não, mas o artigo de Gerson é brilhante!… Continuar lendo

CLARICE NÃO MORREU! VIVE (MALTRATADA) NO FACEBOOK…

por

“Clarice não morreu!” Começo com este grito. Visto que em vida ela não foi tão cultuada, o nome de Clarice Lispector (1920 – 1977) nunca foi tão aclamado como na era digital, o… Continuar lendo

Resenha: Histórias do Bom Deus, de Rainer Maria Rilke

por

Minha amiga, Um dia depositei este livro nas suas mãos, e a senhora pregou-o como ninguém antes o prezara. Acostumei- me assim a pensar que ele lhe pertencia. Permita- me então que eu… Continuar lendo

Resenha: “Adeus, velho”, de Antônio Torres

por

Adeus, velho (1981) é uma leitura que agarra desde o primeiro parágrafo, não consegui parar de ler até o final. É o sonho de todo leitor encontrar livros assim, não é?! Essa é uma história… Continuar lendo

Clube de Leitura: “Dublinenses”, de James Joyce, por Ronaldo Sérgio

por

Uma resenha do nosso Clube de Leitura enviada por Ronaldo Sérgio do blog Rancho das Crônicas. Ele fez uma resenha pessoal, mostrando as suas sensações ao ler “Dublinenses”, de James Joyce. A resenha é… Continuar lendo

Resenha: “Antes que eu morra”, de Luis Erlanger, por Luis Erlanger!

por

Uma curiosidade corrente em muitos leitores é saber o que pensa o escritor sobre o próprio livro. Essa resenha mata um pouquinho a nossa curiosidade, já que foi feita pelo próprio pai da obra! No… Continuar lendo

Resenha: “Alabardas”, o último livro de José Saramago

por

Alabardas, alabardas, espingardas, espingardas está aqui na mão, acabou de sair do forno pela Porto Editora, o último romance inacabado do escritor português José Saramago (Azinhaga, 16/11/1922 – Lanzarote, 18/06/2010). Esse livro entrou nas livrarias de… Continuar lendo

Clube de Leitura: fracasso absoluto

por

Se eu estou surpresa? Não. Quando eu fiz a proposta do Clube de Leitura há mais de um mês, escolhi um livro muito curto, fácil por se tratar de literatura informativa, e grátis,… Continuar lendo

Clube de Leitura: “Aqueles tempos”, de Edney Silvestre

por

Edney Silvestre é uma recente descoberta no meu mundo literário. Depois de ler “Vidas provisórias”, surgiu o interesse de conhecer toda a bibliografia do autor.  Edney Silvestre na Cidade das Artes (RJ), Facebook do… Continuar lendo

Resenha: “Vidas provisórias”, Edney Silvestre

por

Sabe aquele cara competente e bonitão da Globo, voz linda, jornalista consagrado e conhecido por todos? Sim, esse mesmo, Edney Silvestre ou Edney Célio Oliveira Silvestre (Valença, Rio de Janeiro, 27 de abril de 1950). Edney também… Continuar lendo

Resenha: “Um cão uivando para a lua”, de Antônio Torres

por

Até antes de ler “Um cão uivando para a lua”, o livro “Essa terra” era o meu preferido. Agora estão empatados, outro “livraço”* de Antônio Torres! O autor escolheu para a epígrafe do livro… Continuar lendo

1º Dia da Feira do Livro de Madri: Luis Goytisolo e Antonio Colinas

por

As feiras de livros são oportunidades valiosas para conhecer nossos ídolos literários, trocar algumas palavras e “sentir” como é o autor. E dependendo do escritor, esse contato direto com o leitor não lhe beneficia… Continuar lendo

Resenha: “Meninos, eu conto”, de Antônio Torres

por

“Meninos, eu conto” está “classificado” como literatura infanto- juvenil, mas é adequado para todas as idades. E atenção, professores: altamente recomendado para ler na escola! Antônio Torres (Sátiro Dias, antigo Junco, Bahia, 13-09-1940)  é… Continuar lendo

Resenha: “Em busca do tempo perdido- No caminho de Swann”, Marcel Proust

por

(…) Mas, quando nada subsiste de um passado antigo, após a morte dos seres, após a destruição das coisas, apenas o cheiro e o sabor, mais frágeis mas vivazes, mais imateriais, mais persistentes,… Continuar lendo